Topo

Histórico

Categorias

Dia do lixo e refeed: estratégias alimentares para o emagrecimento

Guilherme Giorelli

09/03/2019 04h00

Crédito: iStock

"Descobri a dieta perfeita!", disse André no app de mensagens da família. "Já estou fazendo dieta há 4 semanas, mantendo o nível de exercício físico e conseguindo perder gordura corporal! Os primeiros dias foram os mais difíceis, deu muita vontade de comer chocolate e pão. Mas com foco e muita força resisti, hoje posso falar que valeu muito a pena. Descobri a formula do sucesso, basta manter"

Cinco semanas depois Andre mandou nova mensagem, dessa vez no privado: "Não cometi nenhum erro, mas não consigo entender: a velocidade de perda de peso não é mais a mesma! Toda hora penso em comida. Estou prestes a abandonar tudo!"

O relato acima é fictício, mas poderia não ser. Cada vez é mais comum ver post nas mídias sociais de pessoas que ficam completamente apaixonadas por um tipo de dieta, mas que por falta de resultado, vão abandonando a dieta aos poucos e  sem fazer a mesma exposição nas redes sociais. Para cada barulhento sucesso virtual, podem existir muitos fracassos silenciosos.

Entenda:

  • Não existe uma única dieta perfeita para todas as pessoas.
  • Nunca uma mesma dieta terá resultado idêntico em duas pessoas diferentes.
  • Uma mesma pessoa fazendo a mesma dieta em períodos diferentes da vida terá resultados diferentes.

Você não é o que você come. Você é o resultado daquilo que seu organismo consegue fazer , a partir do que você comeu.

O caso do Andre é muito significativo, pois com alto grau de foco e força ele se mantém fazendo a mesma dieta. Porem os resultados não são mais os mesmos, pois seu organismo esta mudando,  se destacam: o papel da leptina e do metabolismo basal.

O que é Leptina?

Trata-se de um hormônio que é produzido pelo tecido adiposo, responsável pela regulação da fome e da saciedade.  Quando o nível de leptina esta alto no sangue, ela consegue sinalizar o núcleo cerebral da fome que é hora de parar de comer.

Durante a perda de gordura corporal, as células de gordura passam a produzir menos leptina, o que pode levar ao aumento da fome.

O que é metabolismo basal?

Metabolismo basal é a quantidade de calorias que o organismo gasta para se manter vivo: batimentos cardíacos , freqüência respiratória. Dietas que restringem muito a quantidade de caloria levam a uma diminuição do metabolismo basal.

Estratégias alimentares para emagrecer

Para tentar corrigir esses efeitos metabólicos e endocrinológicos do organismo surgiram algumas estratégias como "dia do lixo" e o "refeed".

Dia do Lixo – Cheat Day ficou mais conhecido no Brasil como o dia do lixo. A proposta seria que a cada semana em dieta restritiva, a pessoa poderia comer o que quisesse por um dia. Normalmente as pessoas acabam optando por comidas de fast food como pizza e hambúrguer. Nos EUA, também é chamada de "junk food"  que na tradução literal seria " comida lixo".

Refeed – O termo em inglês significa realimentação e não ganhou uma tradução famosa. O conceito seria um aumento programado da quantidade de calorias e de carboidrato, por um período de 8-12 horas. Ou seja a cada 7 dias, durante 12 horas a pessoa tem que aumentar a quantidade de carboidrato. A justificativa cientifica é que carboidratos, principalmente os de alto índice glicêmico, como o arroz, são mais eficientes em estimular o aumento da leptina.

Diversos artigos científicos demonstram os efeitos das dietas em diminuir o metabolismo basal e aumentar a fome. Entretanto não se sabe ao certo se apenas um dia aumentando as calorias seria eficiente para "reequilibrar" as mudanças do metabolismo causado por dietas muito agressivas.

Um artigo científico que se propôs a valiar esse problema, fez a seguinte proposta:

Submeter dois grupo de voluntarios a 6 semanas de dieta.

GRUPO 1 –  Dieta restritiva continua durante todos os dias.

GRUPO 2 –  As 6 semanas foram divididas em 3 fases de 14 dias : durante 11 dias havia uma dieta restritiva e nos últimos 3 dias de cada fase, a alimentação era liberada.

Ao final do trabalho o grupo 2 (dieta intermitente) apresentou maior perda de gordura corporal, analisado por Bioimpedanciometria.   Enquanto, o metabolismo basal apresentou diminuição significativa apenas no grupo que fez a dieta continua todos os dias. Em resumo o resultado do grupo 2 foi melhor!

Obesidade é doença que atinge todas as classes sociais. Nem todas as pessoas tem dificuldade em perder gordura corporal, mas a maioria tem.  Entender os impactos que a alimentação provoca no organismo humano, principalmente  no metabolismo , nos hormônios e na fome é fundamental para o sucesso do tratamento desta doença.

Não existe formula mágica! Cada organismo responde de forma diferente, a alimentação, exercício e medicação, logo o tratamento  deve buscar as melhores respostas individuais.

Sabe o que ajuda a aumentar o metabolismo seja na dieta continua, no dia do lixo ou no refeed e  ainda consegue diminuir a fome? O exercício!

Bons treinos

Sobre o autor

Guilherme Giorelli é nutrólogo e médico do esporte e exercício. Fellow do International College for Advancement of Nutrology e com mestrado em vitamina D, ele organiza eventos científicos, além de ministrar aulas e palestras. Atualmente é diretor do SMEERJ (Sociedade de Medicina Esportiva e do Exercicio do Rio de Janeiro). Seu dia a dia, porém, é o atendimento de pacientes em sua clínica, que buscam cuidar da saúde por meio da alimentação e do exercício.

Sobre o blog

Este blog é para discutir, sob a ótica da nutrologia e da medicina do esporte, qual o impacto da alimentação sobre o nosso organismo, quais as suas relações com o exercício e como a suplementação pode ajudar. Afinal, todo dia existem novos artigos sendo publicados, novas verdades para serem aprendidas ou questionadas. A ciência nunca está parada, nem você deve ficar.

Blog do Guilherme Giorelli