Topo

Histórico

Categorias

5 nutracêuticos que podem estimular o metabolismo e ajudar a perder gordura

Guilherme Giorelli

02/02/2019 12h39

Crédito: iStock

Existem dois tipos de tecido adiposo que se destacam no nosso o organismo: o branco e o marrom. Enquanto a principal função do Tecido Adiposo Branco – TAB- é armazenar o excesso de energia na forma de gordura,  o Tecido Adiposo Marrom- TAM-  é especializado em produzir calor o que leva ao gasto de energia.

Gastar mais energia é uma linha de pesquisa no tratamento da obesidade, e isto pode ocorrer quando se estimula o organismo a transformar gordura branca em marrom.

O TAM gasta mais energia, pois ele é rico em UCP1. UCP1 é uma sigla das palavras em inglês uncouplin Portein 1,  quando as UCP1 são estimuladas elas levam a um aumento do gasto de energia.

Mas Atenção! Aumentar o gasto de energia não é igual a perder gordura corporal.  Se você está gastando mais, e também estiver comendo mais o resultado pode não se alterar.

No tratamento da obesidade, o balanço energético vai determinar se você vai perder peso ou não.  Avalie as seguintes situações:

  • Comer mais e gastar mais = manter o peso
  • Comer menos e gastar menos = manter peso
  • Comer menos e gastar mais = perder peso

Transformar gordura branca em gordura marrom, vai ajudar seu organismo a gastar mais energia.

Muitas vezes no tratamento da obesidade o paciente consome pouca quantidade de comida , entretanto não perde peso pois ocorre uma proporcional redução no metabolismo.

Portanto, é muito importante enfatizar, que  para o tratamento da obesidade dar certo não adianta consumir pouca energia (ou seja comer pouco ) se o seu  organismo responder com  uma redução  proporcional do metabolismo.  Pois o balanço energético  final será o mesmo.  Por isso além de sempre ser necessário comer melhor, também é importante estimular o gasto energético.

Nas últimas décadas diversos pesquisadores tentaram descobrir novas substâncias para o aumento do metabolismo e seu impacto no tratamento da obesidade.  Entre elas se destaca o papel dos nutracêuticos. Você já ouviu falar deles?  Talvez não com o nome nutracêutico, mas  você já ouviu  falar de: ômega 3, chá-verde, curcumina, resveratrol e capsaicina, São todos nutracêuticos!

Afinal,  o que são nutracêuticos?

São suplementos alimentares que contem a forma concentrada de um composto bioativo de um alimento.   Não ficou claro? Em outras palavras, nutracêutico é obtido quando se extrai uma parte de algum alimento. Essa substância é então concentrada em quantidades maiores que no alimento original, sendo utilizada com a finalidade de melhorar a saúde.

Na coluna de hoje, vou falar de cinco nutracêuticos que podem ter efeito sobre o aumento do metabolismo e ajudar no tratamento da obesidade:

  • Capsaicina – Retirado da pimenta, essa substância é uma das responsáveis pelo sabor apimentado. Estudos demonstram sua eficácia em aumentar o metabolismo basal e aumentar a expressão da UCP1.
  • Resveratrol – Retirado das uvas, mas também de amoras e amendoim. Estudos experimentais em animais demonstram seu efeito em acelerar o metabolismo. Ainda são necessários estudos em humanos.
  • Curcumina – Retirado das raízes de cúrcuma (uma planta da família do gengibre), geralmente utilizado como tempero na alimentação. Pequenos estudos realizados em obesos submetidos à mudança do estilo de vida demostraram perda de peso e redução da circunferência abdominal superior no grupo que usava cúrcuma, quando comparado com o grupo que não utilizava.
  • Chá-verde – Obtido a partir das folhas da planta Camellia Sinensis. Rica em cafeína e catequina. Diversos estudos clínicos já foram realizados, porem os resultados não são conclusivos. Alguns estudos demostram que há um aumento da oxidação de gordura, mas que não chega a ter resultado significativo no aumento do metabolismo.
  • Ômega 3 –  Retirado de peixes, como o Salmão.  Em estudos experimentais o Ômega 3 EPA e DHA demonstrou-se capaz de aumentar a UCP1.  Pouco se sabe sobre a eficácia em humanos.

Os estudos com nutracêuticos, estão sendo importantes para entendermos os mecanismos de ação destas substâncias em estimular a termogênese. As vias descobertas podem se tornar alvo de futuras medicações que auxiliem o tratamento da obesidade.

Apesar das publicações cientificas com nutracêuticos em modelos animais apresentarem resultados promissores, ainda são necessários estudos que validem seus resultados e segurança em humanos.  Antes de pensar em usar um nutracêutico ou suplemento procure um profissional de saúde de sua confiança que te oriente sobre os riscos e benefícios.

Para ativar sua termogênese, um excelente remédio, continua sendo o exercício físico.

Bons treinos!

Sobre o autor

Guilherme Giorelli é nutrólogo e médico do esporte e exercício. Fellow do International College for Advancement of Nutrology e com mestrado em vitamina D, ele organiza eventos científicos, além de ministrar aulas e palestras. Atualmente é diretor do SMEERJ (Sociedade de Medicina Esportiva e do Exercicio do Rio de Janeiro). Seu dia a dia, porém, é o atendimento de pacientes em sua clínica, que buscam cuidar da saúde por meio da alimentação e do exercício.

Sobre o blog

Este blog é para discutir, sob a ótica da nutrologia e da medicina do esporte, qual o impacto da alimentação sobre o nosso organismo, quais as suas relações com o exercício e como a suplementação pode ajudar. Afinal, todo dia existem novos artigos sendo publicados, novas verdades para serem aprendidas ou questionadas. A ciência nunca está parada, nem você deve ficar.

Blog do Guilherme Giorelli