Topo

Histórico

Categorias

10 dicas para a família combater junta a obesidade infantil

Guilherme Giorelli

06/10/2018 15h59

Crédito: iStock

Celular, tablet e televisão tem em comum a tela, através dela é possível conferir novidades de parentes que estão viajando, ver uma partida de futebol ou até mesmo ler este blog. O entretenimento que você escolher está alguns cliques e papais e mamães acabam utilizando destas múltiplas telas para distrair as crianças. O que começa como uma ajuda pode estar contribuindo para o aumento da obesidade antes mesmo da adolescência.

Artigo publicado pela British Medical jornal mostra que meninos e meninas estão fazendo cada vez menos atividade física. Apesar de parecer uma conclusão óbvia, este foi um dos primeiros trabalhos feitos de forma prospectiva a chegar nessa conclusão. Prospectivo significa olhar para o futuro, no caso o estudo realizado na Inglaterra acompanhou as crianças dos 7 aos 15 anos e todas elas apresentaram diminuição no tempo de atividade física e exercício físico.

A principal conclusão do estudo é que ainda crianças, meninos e meninas estão ficando mais sedentários, até então se achava que as meninas eram o principal grupo de risco e que o problema só começava na adolescência.

Os números são assustadores, pois acompanham o aumento da obesidade em crianças e adolescentes. Doenças antes exclusivas de adultos como o diabetes tipo 2, refluxo gastroesofágico, hipertensão e síndrome metabólica estão cada vez sendo mais diagnosticadas em crianças.

O que fazer?

Toda a família deve estar engajada no mesmo estilo de vida da criança ou adolescente, não adianta os pais e irmãos estimularem uma alimentação saudável e comer errado na frente da criança, atitudes são mais fortes que palavras. Veja 5 dicas de mudanças

  1. Diminuir o tempo na frente das telas a menos de 2 horas por dia;
  2. Retirar TVs dos quartos e da cozinha;
  3. Permitir que crianças possam ter mais de 9 horas de sono;
  4. Não estimular o relacionamento com comida como forma de recompensa ou punição;
  5. Toda a família deve estar engajada em pelo menos 1 hora de exercício moderado a vigoroso por dia. Fazer uma trilha, passear com o cachorro, descer ou subir as escadas do prédio… São muitas as opções!

E algumas dicas de atitudes que ajudam a manter este plano:

  1. Para começar uma mudança, escolha uma ou duas atitudes possíveis;
  2. As metas têm que ser atingíveis –comece devagar;
  3. Crie uma métrica para reavaliação dentro da rotina da criança –o acompanhamento com os profissionais de saúde deve servir para estes ajustes;
  4. Somente após a rotina de monitoramento ter sido estabelecida, você deve acrescentar novas mudanças
  5. Mães e pais devem elogiar os resultados positivos dos filhos. Apontar apenas os erros e problemas é um erro comum;

Toda a família deve buscar estar envolvida não somente na mesma alimentação, mas também na atividade física e lazer. Família saudável é uma família unida.

Bons treinos!

Sobre o autor

Guilherme Giorelli é nutrólogo e médico do esporte e exercício. Fellow do International College for Advancement of Nutrology e com mestrado em vitamina D, ele organiza eventos científicos, além de ministrar aulas e palestras. Atualmente é diretor do SMEERJ (Sociedade de Medicina Esportiva e do Exercicio do Rio de Janeiro). Seu dia a dia, porém, é o atendimento de pacientes em sua clínica, que buscam cuidar da saúde por meio da alimentação e do exercício.

Sobre o blog

Este blog é para discutir, sob a ótica da nutrologia e da medicina do esporte, qual o impacto da alimentação sobre o nosso organismo, quais as suas relações com o exercício e como a suplementação pode ajudar. Afinal, todo dia existem novos artigos sendo publicados, novas verdades para serem aprendidas ou questionadas. A ciência nunca está parada, nem você deve ficar.

Blog do Guilherme Giorelli