Topo

Histórico

Categorias

Exercícios na gravidez: veja os principais cuidados

Guilherme Giorelli

01/09/2018 04h00

Crédito: iStock

Foi publicado em 12 de junho de 2018, na revista British Medical Journal, a última parte do Consenso do Comitê Olímpico Internacional sobre exercício durante a gravidez. O posicionamento não é direcionado apenas para atletas profissionais, ele também se preocupa em trazer informações para as amadoras.

Na ausência de contraindicações maternas ou fetais, a prescrição de exercício durante a gravidez deve seguir os mesmos princípios aplicados na população em geral, ou seja, o exercício deve ser feito de forma programada e progressiva. Respeitando as individualidades físicas e desejos de cada praticante.

O período gestacional, no entanto, deve ser acompanhado com mais atenção, pois ocorrem mudanças hormonais e metabólicas que influenciam a capacidade de respiração das futuras mamães. Portanto uma avaliação clínica com o médico obstetra deve ser realizada para que sejam afastadas todas as contraindicações que podem ser tanto por parte da mãe ou do feto. Como por exemplo pressão alta não controlada, anemia, sangramento persistente, crescimento anormal do feto, baixo peso, entre outros.

Com o passar dos meses da gestação, contraindicações podem desaparecer ou novos problemas podem surgir, portanto nem sempre se trata de um diagnóstico definitivo.

Mulheres que tem autorização para iniciar um exercício físico devem ficar atentas para os seguintes sinais de alerta e procurar avaliação médica se houver:

  • Sangramento vaginal;
  • Contrações dolorosas regulares;
  • Perda de liquido amniótico;
  • Falta de ar antes de fazer esforço;
  • Tontura e desmaios;
  • Dor no peito;
  • Edema e dor nas panturrilhas;
  • Fraqueza muscular.

Dicas e cuidados importantes para prática de esportes na gravidez

1. Exercício aeróbico: cuidado com a hipertemia. A temperatura corporal não deve ficar acima de 39°C, pois pode aumentar o risco de mal formação fetal, principalmente nos 20-30 primeiros dias de gestação e no primeiro trimestre. Exercícios moderados, aqueles realizados com 60-70% VO2max (capacidade respiratoria máxima), não aumentam a temperatura acima de 38°C, sendo mais indicados.

2. Tontura quando estiver na posição supina: A posição supina ocorre quando a pessoa está deitada com a barriga voltada para cima. Estudos relatam que algumas grávidas, quando se exercitam nesta posição, podem sentir tontura, principalmente após a 28 semana de gestação. Isso ocorre pois há uma diminuição do retorno de sangue venoso. Caso isso ocorra, o posicionamento supino não deve ser repetido e o exercício pode ser feito com sentado, em pé ou com ângulo na cadeira de no mínimo 45 graus.

3. Alimentação: A maneira mais simples de avaliar se a gravida está se alimentando corretamente para o crescimento e desenvolvimento do feto é o acompanhamento do peso materno durante a gestação. Em pessoas que engravidam com peso normal (IMC entre 18.5- 24.9) o ganho de peso deve esperado varia entre 11.5 a 16 kg – com 0,8 a 1 kg de aumento durante 2 e 3 trimestres.

A realização do ultrassom fetal com maior frequência também pode ajudar, quando houver indicação médica. Se estima que durante a gestação as necessidades de calorias maternas para o crescimento e desenvolvimento aumentam em:

  • 90 Kcal/dia no primeiro trimestre;
  • 287 Kcal/dia no segundo trimestre;
  • 466 Kcal/dia no terceiro trimestre;

4. Exercício de força: Existem poucos trabalhos avaliando o exercício de força durante a gravidez. As recomendações sugerem muita atenção na técnica de cada exercício para que segurança. Caso haja sensação de fadiga excessiva, o exercício deve ser evitado. Exercícios que aumentam a pressão pélvica só podem ser realizados com extremo cuidado técnico, o que inclui contração da musculatura do assoalho pélvico antes e durante o levantamento do peso, para que se consiga neutralizar o aumento da pressão intra-abdominal.

Uma vez realizado da forma correta, existem fortes evidencias cientificas que realizar exercício de força para o assoalho pélvico durante a gestação, pode prevenir a incontinência urinaria, muito frequente após o parto.

Esportes onde haja risco de queda ou de trauma direto sobre a parede abdominal devem ser evitados.

Um estilo de vida saudável é um melhor exemplo que mães e pais podem passar para saude dos seus filhos. E pode começar antes do nascimento.

Bons treinos!

Sobre o autor

Guilherme Giorelli é nutrólogo e médico do esporte e exercício. Fellow do International College for Advancement of Nutrology e com mestrado em vitamina D, ele organiza eventos científicos, além de ministrar aulas e palestras. Atualmente é diretor do SMEERJ (Sociedade de Medicina Esportiva e do Exercicio do Rio de Janeiro). Seu dia a dia, porém, é o atendimento de pacientes em sua clínica, que buscam cuidar da saúde por meio da alimentação e do exercício.

Sobre o blog

Este blog é para discutir, sob a ótica da nutrologia e da medicina do esporte, qual o impacto da alimentação sobre o nosso organismo, quais as suas relações com o exercício e como a suplementação pode ajudar. Afinal, todo dia existem novos artigos sendo publicados, novas verdades para serem aprendidas ou questionadas. A ciência nunca está parada, nem você deve ficar.

Blog do Guilherme Giorelli