PUBLICIDADE

Topo

Guilherme Giorelli

Projeto verão: por que dietas milagrosas aumentam seu percentual de gordura

Guilherme Giorelli

01/12/2017 12h26

Crédito: iStock

O verão está chegando e, com ele, os projetos de emagrecimento. Quem nunca teve vontade de fazer um projeto verão que atire a primeira pedra ou até sua coqueteleira de whey. Nada contra o desejo genuíno dos pacientes de ter melhores resultados. Às vezes, essa é uma ótima oportunidade de conhecer profissionais de saúde.

Um bom conceito para se debater durante o afã do projeto verão é se questionar: "Perder peso é sempre bom?". Os mais apressados ou desesperados dirão que sim, que vale tudo. Mas será que perder peso é igual emagrecer?

Resposta: Não! Não vale tudo para perder peso, porque nem sempre perder peso é igual a emagrecer. E quando vale tudo é a saúde que você pode acabar perdendo ou colocando em risco.

Para entender essas afirmações, precisamos falar de composição corporal. Nosso peso tem como principais determinantes na balança: água, ossos, músculos e gordura.

Fato: Qualquer dieta com baixa quantidade de caloria (restrição calórica) leva à perda de peso. Porém, perder peso de qualquer forma é um grande problema.

Explico. Isso é o que ocorre em dietas "milagrosas" como só tomar chá, o paciente perde tudo: água, músculo e gordura e muitas vitaminas. Quando se cansa de fazer a dieta (e volta a comer besteiras) recupera apenas gordura e água, porém, não recupera a massa muscular perdida.

Tem nova festa? Lá vem outro detox: perde água, gordura e músculo. Passou a festa: recupera água e gordura, mas não recupera músculo. Ou seja, mesmo que o peso inicial seja mantido nessas perdas e ganhos de peso, o paciente acaba ficando com maior percentual de gordura.

O que além de ser horrível para a pele, pois leva a flacidez e envelhecimento, aumenta o risco de doenças graves como hipertensão e diabetes. Esse aumento do percentual de gordura diminui a qualidade de vida e piora o metabolismo basal — a quantidade de calorias que o organismo gasta por dia em repouso.

Logo, se você diminui a quantidade de calorias que gasta, suas chances de engordar aumentam, independentemente daquilo que você está comendo.

Por isso, fica claro que você não é apenas o que come. Você é aquilo que o seu organismo faz com o que você come. Portanto, temos que cuidar muito bem da nossa massa muscular.

Por mais difícil que seja perder gordura, aumentar a massa muscular é ainda mais complexo pois, além de uma alimentação adequada, exige treino, sono reparador e amor.

Amor pela sua saúde e seu corpo! O amor precisa ser constante para que os resultados apareçam. Uma paixão de verão não será suficiente…

Para o corpão do verão, procure orientação.

Sobre o autor

Guilherme Giorelli é nutrólogo e médico do esporte e exercício. Fellow do International College for Advancement of Nutrology e com mestrado em vitamina D, ele organiza eventos científicos, além de ministrar aulas e palestras. Atualmente é diretor do SMEERJ (Sociedade de Medicina Esportiva e do Exercicio do Rio de Janeiro). Seu dia a dia, porém, é o atendimento de pacientes em sua clínica, que buscam cuidar da saúde por meio da alimentação e do exercício.

Sobre o blog

Este blog é para discutir, sob a ótica da nutrologia e da medicina do esporte, qual o impacto da alimentação sobre o nosso organismo, quais as suas relações com o exercício e como a suplementação pode ajudar. Afinal, todo dia existem novos artigos sendo publicados, novas verdades para serem aprendidas ou questionadas. A ciência nunca está parada, nem você deve ficar.